Parque das Neblinas deve intensificar visitas

O Parque fica no distrito de Taiaçupeba. (Foto: Divulgação)
O Parque fica no distrito de Taiaçupeba. (Foto: Divulgação)

Inaugurado no final dos anos 1990, o plano de manejo do Parque das Neblinas, no Distrito de Taiaçupeba, passa por uma revisão para intensificar o programa de visitas das pessoas interessadas em conhecer a rica flora e fauna da Mata Atlântica, existente nos 2,8 mil hectares da propriedade da Suzano Papel e Celulose, nas cidades de Mogi das Cruzes e Bertioga. Entre as novidades está a finalização do traçado da trilha para bike, de 10 quilômetros, que deverá atrair adeptos do ciclismo e do ecoturismo, nos próximos meses.

Administrado pelo Instituto Ecofuturo, as diretrizes sobre o uso do Parque das Neblinas perseguem o objetivo de mantê-lo como “uma zona de amortecimento” do adensamento descontrolado da Região Metropolitana de São Paulo, como entusiasma-se Paulo Groke, diretor de projetos ambientais do equipamento, quando conta sobre o plano de manejo.

“Essa é a função do Parque das Neblinas, manter-se como uma zona de amortecimento do crescimento desordenado verificado em diversas cidades das proximidades, que divisam com a Capital”, disse o engenheiro florestal.

Esse santuário verde ainda é mais visitado por estudantes e estudiosos sobre o meio ambiente, embora qualquer pessoa possa ser incluída nos grupos de visitantes, que possuem uma cartela de atrações, com trilhas para caminhadas a canoagem – nesse caso pelas águas limpíssimas do Rio Itatinga, um manancial completamente livre de poluentes.

O local também testa o serviço de camping, apresentado principalmente a turistas. “O brasileiro, talvez pela fartura do verde, não se sente tão atraído pelo camping quando o estrangeiro”, observou Groke.

Uma inovação, que tem sido aprovada pelo visitante, é o passeio autoguiado, onde o frequentador consegue percorrer as trilhas sinalizadas, sem a presença em tempo integral dos guias. “ E está dando certo. Os nossos funcionários ficam em pontos estratégicos, para o orientar o visitante, que tem mais liberdade para apreciar as atrações naturais”, acrescentou ele.

A nossa ideia é atender grupos empresariais e a escolas, em visitas monitoradas durante a semana, e, adotar o modelo autoguiado, aos sábados e domingos.

ELIANE JOSÉ

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *