Jornal O Diário

Sábado, 18 de Abril de 2015

Última atualização:06:32:12 AM GMT

Você está no canal: POLÍCIA

POLÍCIA

Carros em DPs ainda são problema



O problema pelo jeito virou eterno. O pátio reservado a veículos e outros materiais está lotado e o reflexo da situação atinge as delegacias de Mogi das Cruzes, pois as autoridades policiais são obrigadas a autorizar a permanência dos automóveis envolvidos em ocorrências nas proximidades dos DPs. O fato, além de deixar o ambiente mais fúnebre, já que cada veículo representa um caso, e às vezes uma tragédia, também  pode servir como lugar de proliferação do mosquito Aede aegypti, conhecido popularmente como mosquito da dengue. Ninguém da área da saúde fiscalizou os carros com vidros quebrados, mas há uma preocupação dos policiais e do público quanto à dengue.

No Distrito Central, no Parque Monte Líbano, os carros estão sendo colocados até uma praça na frente da Delegacia. “Não podemos permitir que os guincheiros os estacionem na rua ao lado do Cemitério (São Salvador) porque temos que prevenir o furto de peças”, disse o delegado titular Argentino Coqueiro a O Diário. Até o final da tarde de ontem, não havia previsão para a remoção dos carros e nem mesmo das motocicletas. Estas ocupam indevidamente o pátio ao lado do plantão policial, o qual deveria ser exclusivo às viaturas policiais.

Já no 2º DP, em Braz Cubas,  os veículos já tomaram o lugar do estacionamento destinado ao público. Não há mais onde parar os carros apreendidos; podem ser vistos sob o viaduto  Argeu Batalha. Existem veículos  queimados como o de um pastor evangélico morto a tiros no Bairro do Botujuru, no início de janeiro. No fim de abril, completará quatro meses do crime e o Honda Fit continua no mesmo local, a exemplo de automóveis acidentados, roubados e furtados. As motos, por enquanto, estão amontoadas na área interna da Delegacia.

Para agravar a situação, tudo indica, segundo informações, que não deve prosperar o projeto de a Polícia Civil possuir um pátio próprio, por meio de uma empresa particular. A tendência é que o problema continue. (Laércio Ribeiro)

Guarda Municipal faz 5 mil atendimentos



O comando da Guarda Civil Municipal (GCM) de Ferraz de Vasconcelos fechou nesta semana o balanço das ocorrências registradas durante o 1° semestre de 2015. Vinculada ao Departamento de Segurança da Prefeitura, a corporação fez mais de 5 mil atendimentos, entre janeiro e março deste ano. Do índice total, cerca de 3 mil recaem em ações de policiamento preventivo empreendidas pelo órgão.

O efetivo conta com 61 agentes na ronda ostensiva preventiva e com 21 GCMs lotados no Corpo de Bombeiros, inaugurado em 2 de julho de 2014. Outros cinco homens são destinados a serviços internos administrativos da corporação.

Este grupo é responsável pelos 5.343 atendimentos realizados em Ferraz entre janeiro e março de 2015. Enquanto 225 Boletins de Ocorrência (B.O.) e de Atendimento foram lavrados, 1.698 ações foram de acolhimento em escolas e Unidades Básicas de Saúde (UBSs). A ronda ostensiva preventiva atingiu o maior número entre as operações realizadas pela GCM, chegando à 2.951. Houve, ainda, 95 atendimentos relacionados à perturbação de sossego, 45 apreensões de veículos abandonados em vias públicas e 329 ações de apoio ao trânsito.


Página 1 de 245