Verde que educa

A abertura de novas opções das visitas agendadas ao Parque das Neblinas faz parte de uma proposta de ampliação do projeto de educação ambiental realizado em uma das mais belas e preciosas áreas verdes, numa extensão de 2,800 hectares entre Mogi das Cruzes e Bertioga.
A ideia é permanecer recebendo um número de visitantes aquém da capacidade do espaço, mas permitir a atração de mais pessoas interessadas em viver uma experiência prazerosa e educativa, em meio às belezas naturais da Mata Atlântica.

O Parque das Neblinas foi instalado no final dos anos 1990 em uma das fazendas da Suzano Papel e Celulose, com um propósito de preservação e de educação ambiental. E tornou-se um exemplo por “blindar” uma área de Mata Atlântica que, num passado bem mais distante, teve espécies nativas derrubadas pela indústria do carvão, no início da história da siderurgia em Mogi das Cruzes. Hoje, árvores que afortunadamente foram salvas nesse processo, algumas centenárias, são apresentadas aos visitantes no meio da mata em recomposição.

A este jornal, o engenheiro florestal Paulo Groke, diretor de Projetos Ambientais do Instituto Ecofuturo, que administra o Parque das Neblinas, afirma que essa reserva busca se manter como uma “zona de amortecimento” ao crescimento acelerado das regiões próximas de São Paulo, com a preservação de uma grande propriedade dentro da Serra do Mar.

Esse “amortecimento” ocorre porque a região é uma grande massa verde que limpa o ar, equilibra os efeitos do aquecimento global e abriga uma rica fauna e flora, com dezenas de espécies identificadas em pesquisas científicas ocorridas nessas últimas duas décadas.

Os projetos ambientais atendem visitantes e moradores do entorno. Um deles incentiva o plantio de espécies nativas como o palmito juçara e o cambuci. Por ano, cerca de dois mil visitantes descobrem porque o parque é das neblinas. Ali, duas propostas devem sair do papel nesse ano: a abertura em definitivo da área para camping e a trilha de 10 quilômetros para ciclistas.

Franqueado a escolas públicas e particulares, no meio da mata e sem muito alarde, o Parque das Neblinas tem elevado o potencial de Mogi das Cruzes para o ecoturismo, também encontrado em outros pontos, como a Serra do Itapeti. Cresce o interesse por experiências em meio à natureza porque o homem tem se dado conta dos atropelos vividos desde que começou a se distanciar de suas raízes e tradições caipiras. Os benefícios da vida em harmonia com a natureza vão da melhoria da saúde ao bem-estar físico e mental, e à conquista da paz interior que pode se refletir na paz social.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *